Governador de Minas aposta em retomada nas obras de infraestrutura

Governador de Minas aposta em retomada nas obras de infraestrutura

 

Romeu Zema visitou nesta terça (27) a Paving Expo & Conference South America, que está sendo realizada em São Paulo

 

O cenário desalentador de falta de obras de infraestrutura de transporte que atualmente predomina em quase todo o país, deverá ser revertido em seis meses ou um ano. A aposta é do governador de Minas Gerais, Romeu Zema e foi feita após visitar a Paving Expo & Conference South America, que foi aberta nesta terça (27), em São Paulo. “O Brasil tem um potencial enorme de expansão das obras de transporte, uma vez que está carente de boas estradas, pois o segmento de obras públicas ficou adormecido nos últimos anos”, comentou o governador.

 

Zema, que estava acompanhado do secretário de Infraestrutura de Minas Gerais, Marco Aurélio Barcelos, percorreu vários estandes da feira ao lado de Guilherme Ramos, diretor geral da STO Feiras e Eventos, promotora da exposição. Para o governador, a situação de total paradeira das obras de infraestrutura e logística de transporte é resultado do desequilíbrio fiscal agudo que atingiu tanto Estados quanto a União nos últimos anos, e que gerou um quadro de falta de manutenção e de pouca ou nenhuma ampliação da malha rodoviárias do país. “Em Minas, nossa situação é crítica”, observou Zema.

 

Apesar desse quadro, o governador está confiante numa reversão de tendência. “Acreditamos que o Brasil terá um renascimento. Tivemos a reforma trabalhista, temos agora a reforma previdenciária bem encaminhada e teremos, em breve, uma reforma tributária. Tudo isso deve contribuir para um efetivo reequilíbrio das contas públicas e, consequentemente, uma retomada consistente dos investimentos, principalmente no segmento de obras públicas de infraestrutura”, concluiu o chefe do Executivo mineiro.

 

Manutenção periódica nas pontes é solução para evitar colapsos registrados recentemente

 
O Brasil conta hoje com 137 mil pontes, que representam um patrimônio de R$ 260 bilhões. No entanto, o país sofre com a falta de recursos para a inspeção e monitoramento de pontes. Isso explica alguns casos recentes e graves de rupturas em obras de arte viárias que exigiram intervenções críticas em São Paulo e no Rio de Janeiro. Para efeito de comparação, os Estados Unidos consomem 2,5% do valor estimado de seu patrimônio em manutenções e inspeções periódicas. O alerta foi feito por Julio Timerman, presidente do Ibracon (Instituto Brasileiro do Concreto), durante o Seminário Inspeção de Pontes, realizada nesta terça (27), na Paving Expo & Conference.


Um dos pontos mais vulneráveis nas pontes e viadutos são as juntas de dilatação. Timerman destacou o fato comum no país de reparos que são feitos sem projetos, levando a outro problema no pavimento: a sobrecarga. “Essa atitude consiste em colocar mais concreto sobre o pavimento, aumentando a espessura, criando uma carga morta, sem efeito estrutural, mas de impacto sobre a capacidades portante da ponte ou viaduto. Este é um problema comum enfrentado pelas concessionárias e acarreta muitos custos de manutenção”, destacou. Ele enfatizou a importância das inspeções regulares e preventivas das estruturas, seguidas por correções das patologias de acordo com as técnicas já disponíveis no país, como uma das boas práticas para se evitar o colapso e o prejuízo total das estruturas.


Tulio Nogueira Bittencourt, diretor de Relações Institucionais do Ibracon, abordou em sua palestra a importância do monitoramento de pontes segundo a visão de manutenção preditiva, que antecede os problemas. Um dos exemplos mencionados é a Ponte Imperial Dom Pedro II, em Cachoeiro, na Bahia, um patrimônio arquitetônico do país e que está sendo restaurado com apoio de um sistema de monitoramento online, com uso de sensores.


Bittencourt ressaltou que as técnicas (HSM) e os equipamentos para manutenção evoluíram no Brasil com reflexo no custo operacional. E atualmente há uma consciência neste setor sobre a importância da coleta de informações sobre as obras. “Os dados coletados permitem um diagnóstico preciso das condições de estrutura com impacto nos processos de manutenção. A combinação das modernas técnicas de inspeção, ensaios não-destrutivos e monitoramento estrutural permitem prognósticos mais precisos do comportamento estrutural e facilitam as ações de correção preventiva”.


O seminário contou ainda com as palestras de Rafael Timerman diretor adjunto da Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutura (Abece) e  Enio Pazini Figueiredo, professor da Universidade Federal de Goiás (UFG) e diretor de cursos do Ibracon.

 

Como se preparar para o curso de engenharia

 

O opção pelo curso de engenharia exige a adoção de disciplina e metodologia de estudo. A partir dessa conscientização, o estudante deve se preparar para o mercado de trabalho através de cursos complementares, networking e a busca por um estágio no período para conciliar prática à teoria. Estas são as dicas de Eduardo Mikail e Eduardo Cavalcanti, dois amigos que trilharam trajetórias profissionais diferentes e se reencontraram durante o curso de engenharia. Ambos participaram da Palestra 360º dirigida a plateia de estudantes interessada em informações sobre a carreira durante a Paving Expo & Conference.


Cavalcanti é sócio da Jemp Montagens e Desmontagens e Mikail é empreendedor digital e sócio da Digital Bronks. Os profissionais ressaltaram a importância dos estudantes en manter um perfil no LinkedIn como uma das rotas obrigatórias para quem busca uma colocação no mercado de trabalho. “Hoje o LinkedIn é a principal ferramenta que eu utilizo pra contratação” detacou Mikail.


A Paving Expo conta com a participação de mais de 100 expositores nacionais e internacionais. O evento inovador apresenta uma série de atrações. A Paving Conferece conta com uma programação extensa, formada por workshops e seminários, promovidos por instituições governamentais e setoriais e empresas do segmento. Já o Parque de Equipamentos conta com 5 mil metros de um showroom com equipamentos dos principais fabricantes e distribuidores do setor, incluindo a Elgimaq, Veneza/John Deere, Lafaete, New Holland Construction, Romanelli, Sotreq/Caterpillar, Wirtgen Group, entre outros. 

 

A Paving Live, com o apoio da Peri do Brasil, tem uma programação dinâmica, onde os influenciadores digitais apresentam diariamente notícias e novidades evento e debatem conteúdos com convidados. A Ilha das Startups reúne startups do setor da construção civil com inovações tecnológicas, serviços e soluções para os visitantes. Por fim, o Banco de Talentos é uma iniciativa na área de recursos humanos para fomentar o contato entre profissionais e empresas com a captação de currículos de visitantes.

Os comentários estão encerrados.