0 Item EnglishPortugueseSpanish

O novo contrato de concessão das ferrovias da Malha Paulista será assinado até a próxima quinta-feira (28), entre a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Rumo. A declaração foi dada pelo ministro Tarcísio Gomes de Freitas durante a live “O Futuro da Infraestrutura”, realizada pelo Banco Santander. O novo contrato deve render R$ 6 bilhões em investimentos em seis anos, criação de cerca de 10 mil empregos e o aumento do transporte de 35 milhões de toneladas para 75 milhões de toneladas no período.

Na ocasião, o ministro defendeu o portfólio de projetos da pasta e explicou que a crise não vem atrapalhando o cronograma. Para tanto, destacou o setor aeroportuário. “Nós vamos vender os 43 aeroportos da nossa carteira por uma razão simples: ousadia. Todo o mundo está tirando aeroporto da praça. Nós vamos colocar. Vamos ser vendedores exclusivos no mundo. Estamos adequando a demanda e retirando algumas restrições nos próximos leilões, o que vai abrir espaço para que, por incrível que pareça, sejam sucesso”, disse.

O ministro também falou sobre outros projetos em estágio avançado, como os arrendamentos de terminais de celulose e de combustíveis no Porto de Santos, além do leilão da rodovia Presidente Dutra. “Temos excelentes ativos e sofisticação nos contratos, com matriz de risco. Estamos criando um ambiente de negócios favorável para dar garantias aos investidores internacionais.”

REEQUILÍBRIO – Questionado sobre a possibilidade de reequilíbrio dos atuais contratos, sobretudo no setor rodoviário, Freitas sinalizou que as situações serão analisadas caso a caso. “A crise do coronavírus não pode representar a salvação para empresas que já vinham operando de forma irresponsável antes da crise. É preciso diferenciar isso”, advertiu.

Por fim, o ministro ressaltou a importância do Exército na construção de obras importantes do setor, como a BR-163, no ano passado, além da Ferrovia de Integração Oeste-Leste e as rodovias BR-116/RS, BR-101/SE e BR-135/MA.

Fonte: Ministério da Infraestrutura